Select Menu

adsentop

Noticias

SLIM

SLIM

SLI1

SLI1

Empresa desenvolve escritório para se trabalhar deitado

deitado-bbc
Uma empresa americana lançou uma peça de mobiliário que promete acabar com as reclamações de quem tem de permanecer horas na mesma posição em frente ao computador. A Altwork criou um híbrido de poltrona e mesa no qual o usuário pode trabalhar em pé, sentado ou deitado.
O projeto começou há cinco anos, quando um dos fundadores da Altwork percebeu que se sentia mais produtivo e confortável o trabalhar em uma posição reclinada. A partir de então, surgiram dezenas de esboços que culminaram no desenho final.
O teclado e o mouse não caem graças a um sistema de ímãs que os mantém presos à mesa. Já o computador é sustentado por um braço metálico. Para aumentar a comodidade, também há uma mesa lateral para se acoplar a xícara de café.

Cientistas criam protetor solar que não penetra na pele

bronzeado-interna
Com a ajuda da nanotecnologia, cientistas da Universidade Yale desenvolveram um protetor solar que é capaz de bloquear os raios ultravioleta sem penetrar na pele. A vantagem é que, dessa forma, o produto não entra na corrente sanguínea, evitando possíveis riscos para a saúde.
Os pesquisadores encapsularam um protetor solar comum, o padimato O, dentro de uma nanopartícula, estrutura minúscula normalmente usada para transportar medicamentos para dentro do organismo.
As chamadas nanopartículas bioadesivas contendo o protetor solar são maiores do que os poros da pele, por isso se mantêm na superfície. Para testar se o produto realmente era incapaz de penetrar, ele foi aplicado na pele de porcos. Além de constatar que as nanopartículas realmente não penetraram nos animais, os cientistas também concluíram que o produto é resistente à água e permanece na superfície da pele por um dia ou mais.

Repelente caseiro: afasta mosquito da dengue e zica

Foto: Cura pela NaturezaFoto: Cura pela Natureza
O Brasil vive a ameaça do Aedes Aegypti – que pode transmitir dengue, febre chicungunya, febre amarela e o zica vírus, que estaria ligado a centenas de casos de microcefalia.  Mas você evitar que o mosquito entre em sua casa!
Além de fazer varreduras – tirar água parada de bandejas de vasos, pneus, latas e piscina sem tratamento – para impedir focos de reprodução, tem outra proteção importante: o uso de repelentes.
Como nem todos são seguros, principalmente pra grávidas e crianças – por serem carregados de produtos químicos altamente prejudiciais – a dica é fazer repelentes caseiros.
Entre as opções tem uma com cravo e outra com citronela, que contém essências que afastam os mosquitos.
O melhor é usar o óleo na pele, porque forma uma barreira física contra os mosquitos, como essência de lavanda, cravo ou citronela.
Algumas receitas espantam insetos, melhoram o aroma do ambiente e ainda viram objetos decorativos.
Receita Repelente Caseiro
Ingredientes:
  • 4 frascos de vidro
  • 40 gotas de óleo essencial de cedro
  • 40 gotas de óleo essencial de lavanda
  • 40 gotas de óleo essencial de limão
  • 40 gotas de óleo essencial de citronela
  • 2 limões
  • 2 laranjas
  • 8 ramos de alecrim fresco
  • Água
  • Velas flutuantes
Modo de preparo
Corte os limões e as laranjas em rodelas.
Ponha dois ramos de alecrim em cada vidro.
Reserve-os.
Coloque água em cada frasco (3/4 da capacidade total).
Adicione os óleos essenciais (são dez gotas de cada óleo em cada um dos vidros).
Agite suavemente para que os óleos se misturem.
Coloque uma ou duas rodelas de limão e de laranja em cada frasco.
A quantidade de rodelas vai depender do espaço, ou seja, do tamanho dos vidros.
Se o nível da água ficar muito baixo, você pode adicionar um pouco mais, até que os frascos fiquem quase cheios.
Por fim, coloque uma vela que flutua em cada um dos vidros.
Coloque os vidros nos locais de sua preferência.
Acenda e apague a vela quando necessário.
Mas nunca deixe nada inflamável perto deles.
Depois de três usos, o ideal é que você descarte o conteúdo do vidro, enxague os frascos e faça um novo lote.
Com informações do Cura pela Natureza.

Mototaxista é assassinado na cidade de Floresta, no Sertão de PE


Na manhã deste domingo, dia (06), por volta das 10:00, mais um homicídio foi registrado na cidade de Floresta, no Sertão de Pernambuco. Segundo informações, a vítima de nome:MANOEL LUIZ NOGUEIRA DE SÁ, mais conhecido como BAÉ, de 43 anos, foi assassinado covardemente próximo ao Hotel Floresta. BAÉ foi surpreendido por dois elementos ainda não identificados que estavam em uma moto de cor vermelha quando os criminosos efetuaram vários disparos de arma de fogo Cal. 9mm contra a vítima.

BAÉ ainda foi socorrido para o Hospital de Floresta mais não resistiu aos ferimentos e veio a óbito. A Polícia Civil investiga o caso.

Empregada doméstica vira juíza: estudou com livros do lixo

Foto: GazetaOnlineFoto: GazetaOnline
Desistir? Jamais! A história de superação da juíza Antonia Marina Faleiros é inspiradora!
Com 12 anos, ela trabalhava em um canavial no interior de Minas Gerais.
Filha de um trabalhador rural e uma dona de casa, Antonia foi correr atrás de uma vida melhor em Belo Horizonte quando fez 21 anos.
Na cidade grande, a moça da roça, que teve 4 irmãos, foi empregada doméstica e chegou a dormir oito meses em um ponto de ônibus, porque não tinha onde passar a noite. Enfrentou o frio e o perigo da capital mineira.
“Nos primeiros dias tive que ficar na casa de parentes, fingindo que estava de passeio. Fiquei um período, mas chegou um momento que ficou insustentável, não dava para ficar de favor. Tive que me arrumar. Arrumei um emprego de empregada doméstica, mas a patroa não gostava que a funcionária dormisse na casa dela, porque ela achava que tirava a liberdade dos donos da casa. Para não ser obrigada a retornar para o interior, para a roça, e ter que abrir mão do meu sonho de fazer um curso superior e trilhar um caminho diferente daqueles que moravam na minha terra, eu mentia para minha mãe que dormia na casa da patroa e fingia para a patroa que dormia na casa de parentes. Mas na verdade eu não dormia na casa de ninguém porque eu não tinha onde morar. Eu passava a noite sentada fingindo que estava esperando ônibus. Como era um ponto muito movimentado, dava para enganar”.
Apostilas do lixo
Para conseguir aprovação em seu primeiro concurso, de oficial de justiça do Tribunal de Justiça de Minas, ela catava, no lixo, folhas borradas de um mimeógrafo onde eram feitas apostilas de um cursinho preparatório.
“Eu vi a secretária descartando algumas folhas, que ela passava no mimeógrafo e jogava fora. Peguei e percebi que dava para ler, apesar das folhas borradas. Aquele dia eu catei algumas e a partir daí, eu passei a ir rotineiramente na sede do cursinho. Hoje, relembrando essa história, eu desconfio que aquela secretária, cujo nome não sei e nunca mais a vi, percebeu que eu estava pegando aquelas folhas porque as folhas borradas passaram a ficar em uma lixeira seca, sem copinhos de café. E aí eu fui catando aquelas folhas e estudando, o que foi suficiente para eu fazer uma pontuação boa na tal noção de direito. Com isso, eu consegui, junto com as boas notas em matemática e português, o terceiro lugar no concurso”, lembra.
Ajudar
Hoje, aos 52 anos, casada, a juíza procura fazer a diferença por onde passa. Ela ajuda projetos sociais com crianças em Lauro de Freitas, Bahia, onde exerce o cargo de juíza da 1ª Vara Criminal da cidade.
Dra Antônia também desenvolveu um projeto voltado para o resgate da cidadania dos carvoeiros e de seus familiares da cidade de Mucuri, na Bahia, ganhando prêmio no Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
“A minha história de superação serve para eu ter a certeza de que, com a minha profissão, eu tenho que dar espaço para quem não tem espaço”, pontua.
Leia parte da entrevista concedida ao portal Gazeta online:
Dedicação
“Sempre gostei de estudar. Fui alfabetizada pela minha mãe com 4, 5 anos e sempre fui adepta da leitura. Ela sempre dizia uma frase que eu repito para os meus sobrinhos: quem tem a cama feita pode se contentar com o razoável. Quem não tem a cama feita, deve ser muito bom no que faz”, conta.
Orgulho da família
“Tive a oportunidade de ouvir muitas vezes o orgulho dos meu pais de ver a filha formando. Sempre ajudava muito meus pais e irmãos. Meu pai chegou a verbalizar a alegria, principalmente porque havia aquele temor de que a menina fosse para a capital e se envolvesse com coisas erradas, voltando inclusive com um filho sem pai. E minha família era muito tradicional e simples do interior. Meu irmão Edésio, mais velho depois de mim, já falecido em um trágico acidente no Espírito Santo, sempre dizia que a minha história era um marco. Eu fui uma das poucas da minha geração que fez a faculdade naquele tempo. Eu rompi uma barreira”.
Abençoada
“A mulher Antônia Marina Faleiros é uma mulher abençoada, de uma família abençoada, e que teve sorte de encontrar pessoas de bem pelo caminho. Considerando a história de vida,tudo que eu passei, eu dei um salto que eu gosto de sempre reprisar para firmar que isso é possível: a filha de um trabalhador braçal semi-analfabeto e de uma dona de casa simples, que passou por todas essas histórias, que conheceu o creme dental com 11 anos, que teve que trabalhar cedo, pode estudar e chegar aonde quer. Todos nós podemos”.
Lição
“Conto brevemente a reação da minha mãe quando contei para ela que tinha passado em terceiro lugar no concurso de oficial de justiça. Ela me indagou: ‘a prova estava tão difícil assim?”. Ainda rebati e disse: ‘Mãe, pense bem, quantas pessoas ficaram para trás?’. E ela me disse assim: ‘você já viu corredor olhar para trás? Corredor olha para frente’. Então eu digo sempre isso: temos que olhar para frente e não para as dificuldades que passamos. É pensar no quem tem que ser alcançado, é ter disciplina e meta”.
“Gosto de contar essa história para reafirmar: a filha de uma dona de casa simples e de um trabalhador rural pode sim alcançar o que quer. Todos nós podemos”, se orgulha ela.
Com informações do GazetaOnline e AmoDireito

Reservatórios do Nordeste estão no menor nível da sua história

A seca que castiga a região Nordeste deixou os reservatórios das hidrelétricas no níel menor de sua história. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o volume de água armazenado nas usinas chegou a 6,6% no último dia 11, uma queda de 43,3% em relação há um mês, quando o nível estava a 12%. Comparado com o mês de janeiro, o volume despencou 62,8%.

O menor nível já registrado nos reservatórios da região era o de novembro de 2001, quando ficou em 7,84%. Com a escassez de água nas hidrelétricas, as usinas térmicas mais caras (como as movidas a diesel) podem ser religadas, encarecendo a conta de luz. A medida pode ser necessária mesmo com o alto volume de chuvas na Região Sul, onde os reservatórios estão acima de 97%. Isso porque o sistema interligado nacional apresenta um limite de capacidade de transmissão de energia de uma região para outra do país. O Nordeste é responsável por cerca de 12% da energia gerada no Brasils.

Evangélica mostra atributos na web e faz a igreja estremecer

evangelica1
Uma verdadeira polêmica por conta da vida dupla de uma mulher membro da igreja Assembleia de Deus, tomou conta da cidade Gaúcha de Lajeado Novo. De acordo com informações divulgadas em sites locais, membros da igreja denunciaram que Joana Almeida durante a manhã serve a Deus mas a noite serve os homens com seu corpo.
evangelica2
Por conta disso, um grupo de evangélicos decidiu desmascarar a mulher e publicou na internet, prints de supostas conversas de Joana com um cliente e fotos sensuais que a mesma teria divulgado na rede. Após a denúncia, a jovem foi afastada. A Assembleia de Deus decidiu expulsar Joana Almeida após descobrir que a loira fatal faz programas sexuais durante o dia e assim que sai do templo no período da noite.

Imóvel usado para plantio de maconha deve ser desapropriado sem indenização

maconha-imagem-cpmbmrs.blogspot.com_
Foto: Divulgação
Os imóveis usados para o plantio de maconha, ou de qualquer substância psicotrópica, devem ser desapropriados, sem direito a indenização ou ressarcimento aos proprietários. A medida está prevista na Lei 8.257/1991 e foi confirmada pela Advocacia-Geral da União (AGU) no caso da expropriação de fazenda flagrada com cerca de três mil pés de maconha - cannabis sativa. Localizada no Paraná, a área estava avaliada em R$ 500 mil. A Procuradoria Seccional da União (PSU) em Guarapuava (PR) acionou a Justiça para reivindicar que a fazenda fosse totalmente expropriada e destinada à reforma agrária para o plantio de alimentos ou produtos medicamentosos.  A justificativa para a desapropriação foi de propriedade utilizada de forma nociva ao interesse público. Com base em jurisprudência do Supremo Tribunal Federal e da AGU foi expropriada toda a área da gleba, independentemente da extensão de terra em que foi efetivamente localizado o plantio ilegal. O entendimento para a decisão foi: independente de culpa ou dolo do proprietário, é cabível a desapropriação prevista no artigo 243 da Constituição Federal. 

Policiais militares da antiga Ciosac, agora BEPI com diárias atrasadas

Policiais do Batalhão Especial em Policiamento no Interior, BEPI, antiga CIOSAC reclamam atraso de 2 meses nas diárias operacionais. Informações que chegam ao blog, dão conta de que no mês de setembro houve uma brusca queda na produção da CIOSAC, provocada pelo desânimo da tropa. Já no início de outubro com o pagamento dos meses de julho e agosto a Companhia voltou a normalidade nos resultados operacionais.
Numa escala de 8×8 dias em locais distantes de suas residências, em média 200 km, com um gasto diário com café, almoço e janta, já houve caso de policiais se cotizarem para pagar alimentação daqueles mais “apertados”, outros com luz cortada. Desde o início da criação da CIOSAC, 17 anos atrás, o efetivo tinha as dárias (alimentação e pousada) como certa, inclusive vinham em contracheques até janeiro de 2014.
Depois que saíram do contracheque e passaram a serem pagas até o dia 18 de cada mês, o orçamento nosso foi descontrolado, disse um dos policiais a nossa equipe de reportagem. Com a transformação da Companhia “CIOSAC” em Batalhão Especial em Policiamento no Interior, o BEPI contará com mais duas companhias, a primeira sediada em Custódia, a 2ªCPM em Toritama e a 3ª Companhia em Palmares. O efetivo foi acrescido em 320 homens, hoje se encontra com aproximadamente 530 policiais.
“A tropa CIOSAC considerada a ” fiel ” ao governo que sempre cumpriu com seu papel para qual foi criada: Combater a criminalidade no Interior do estado, prestando apoio aos batalhões de área, intensificar o combate ao tráfico de drogas, combate em assaltos, a carro fortes, bancos etc, querem do governo do Estado uma maior atenção”, finalizou o policial que não quis se identificar. 

Sertão do Pajeú recebe atividades educativas na Semana da Alimentação‏

Fortalecer práticas educativas de alimentação saudável e de compromisso ambiental em meio às mudanças climáticas. Esse é o objetivo de uma série de atividades desenvolvidas pela Diaconia e entidades parceiras no Sertão do Pajeú, na 13ª edição da Semana da Alimentação (SEIA). A programação é alusiva ao Dia Mundial da Alimentação, comemorado na próxima sexta-feira, 16, e envolve crianças, adolescentes, jovens, mulheres, famílias agricultoras e igrejas da região.

As ações se concentram em diversos espaços públicos de São José do Egito. Nesta terça (13), 25 jovens e agricultores/as acompanhados pela Diaconia - em parceria com o Centro Sabiá pelo programa Ater/Agroecologia - participam de um seminário sobre o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e a Legislação ambiental, com atividade prática em duas propriedades da zona rural do município. A atividade também é realizada com o apoio local do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais.

Outros momentos de formação reunirão, quarta (14) e quinta-feira (15), grupos de crianças e mulheres, que também participarão de uma Roda de Dialogo sobre Violência Doméstica, com a exposição “Nem Tão Doce Lar”. A mostra reproduz o ambiente de uma casa onde é possível identificar situações de violência em cada cômodo, bem como informações sobre como denunciar e transformar realidades.

Como afirma o coordenador local da Diaconia, Adilson Alves Viana, a temática já vem sendo abordada nas atividades desenvolvidas pela instituição desde o início do mês: “Tivemos o seminário de Educação do Campo em Tuparetama, e trabalhamos, nas oficinas sobre as tecnologias de convivência com o semiárido, agroecologia, criação de pequenos animais, biofertilizantes e outros elementos que dialogam com a produção de alimentos”. Atividades como um passeio ciclístico ecológico em parceria com a Igreja Batista em Carnaíba, e oficinas com crianças e adolescentes nos Sítios Inveja e Cachoeira Grande (Tabira), trouxeram a alimentação saudável como parte da defesa e promoção de direitos.

Programação:

13 e 14
Seminário e atividade prática sobre o Cadastro Ambiental Rural (CAR) e a Legislação ambiental - Auditório do Sindicato dos Trab. Rurais / Zona Rural de São José do Egito

14 e 15
Formação sobre segurança alimentar com grupo de mulheres - Auditório do Hotel Central
Formação sobre segurança alimentar com 45 agricultores/as do P1+2 - Centro de Inclusão Digital

15
Roda de Dialogo sobre Violência Doméstica / Exposição “Nem Tão Doce Lar”
Encerramento - Centro de Inclusão Digital (12h)

SLID1

SLID1

HTML JAVASCRIPT

HTML JAVASCRIPT ABAIXO DE SLID1